Ordenar por: Guadix distrito

Um dia preenchido em Guadix

Situada na zona norte da Serra Nevada, Guadix surge resguardada no sopé das montanhas. Uma pequena mas movimentada cidade que nos apanha de surpresa, em especial depois de uma longa travessia de carro sobre um planalto que segue sempre a direito, feito de compridas estradas romanas e quilómetros de oliveiras e videiras em volta. Tudo se compõe como numa pintura protagonizada por cumes cobertos de neve.

Se tiver interesse em explorar as montanhas da Serra Nevada durante a sua viagem a Espanha, veja a nossa selecção de casas de férias em Guadix neste link.

Entrada na cidade

Erguendo-se sobre terras férteis, óptimas para a agricultura, respirará em Guadix o ar bucólico e elementar das aldeias mais remotas. Bastará um passeio através da estrada principal flanqueada por árvores, e reparar nas antigas lojas de comércio local, para depressa dar por si a pensar se terá entrado numa máquina do tempo…  note que, se for aficionado da alta costura, provavelmente ficará decepcionado com a oferta de andrajos.

Mesmo que antiquado ou velho, o pitoresco também tem lados interessantes e uma das preciosidades desta terra são mesmo as paisagens. Também o famoso Pedro Antonio de Alarcón do Chapéu de Três Bicos, nascido em 1833, era de Guadix. E se for preciso apontar mais atracções saiba que há arquitectura medieval e estranhas construções em pedra para ver. Acompanhe-nos nesta visita e tenha um dia preenchido em Guadix.

Por onde começar?

De quase todos os miradouros consegue avistar a Catedral, por isso vamos começar por aqui. A Catedral da Encarnação fica num imponente edifício gótico, construído ao estilo barroco no século XVI e substituindo uma antiga mesquita que já ali se encontrava anteriormente. O arenito vermelho das suas paredes brilha sob o sol de Outono, um detalhe estético que pode explorar com as visitas à Catedral garantidas por um comboio turístico.

Este prático meio de transporte faz um percurso que começa e termina na Catedral, custa 5€ e pode inclusivamente aproveitar para ver as paisagens ao longo do caminho sem ter de gastar a sola dos sapatos. Não se esqueça porém que esta experiência só é possível mediante um bilhete pago, não faça como alguns que se tentaram esquivar por entre a multidão de passageiros para ver o interior da carruagem e que foram vergonhosamente apanhados. Esperamos apenas que o simpático condutor, que ficou algo agitado e brandia uma enorme chave ameaçadora na nossa direcção, tenha compensado a agitação com uma tranquila e deliciosa tapa ao almoço.

Também dentro do comboio, encontrará um espaço de museu com guias em formato áudio.

A Praça Central

Encaminhe-se para a esquerda da catedral, passe para o outro lado da estrada e siga através de um dos arcos até à praça principal, conhecida como Las Palmas ou Plaza de la Constitución. Aqui irá encontrar o posto de turismo do lado ocidental da praça – aproveite e vá até lá para recolher as publicações informativas gratuitas ou um mapa em que se poderá inspirar para os seus passeios pela cidade. Existem espalhadas pela praça imensas esplanadas de pequenos bares e cafés. Sugerimos que mate a fome num destes espaços: escolha uma das opções do Menu del Día e tenha um excelente almoço que inclui entradas, prato principal e sobremesa, por um óptimo preço que varia entre os 8€ e os 10€.

Os alimentos são de produção local e são cozinhados sob o mote da simplicidade e da frescura, como qualquer comida de campo. As tapas de mexilhão são especialmente boas, cozinhadas em alho e xerez em molho espesso. Mas talvez seja melhor olhar para esta foto, para ficar com uma ideia mais precisa da riqueza destas tapas.

Conheça os Flintstones

Depois do almoço vá até ao Barrio de las Cuevas, o sítio da observação de grutas. Agora já não fará perguntas sobre viagens no tempo mas talvez fique na dúvida sobre o planeta a que chegou! As vistas sobre os vários corochéus, torretas e cúpulas de Guadix, mas também todo o ambiente de pedra e medieval, dar-lhe-ão as boas vindas ao país dos Flintstones.

Encostas cobertas de relva ondulante são intersectadas por chaminés que parecem os chapéus de Dom Quixote, brotando subitamente da paisagem. E o que poderiam parecer fachadas de casas normais são, na verdade, construções que continuam por debaixo da terra, como se toda a gente aqui levasse uma existência subterrânea. Como se os tempos pré-históricos coexistissem com os nossos dias actuais.

Museu da Caverna

A partir do Mirador tem acesso a uma vista de 360 graus sobre toda a região circundante. Desça a partir daí até à praça ao lado da igreja e visite o Museu da Caverna (2,60€ por entrada). Aqui, poderá contar com a simpatia da assistente de bilheteira que lhe esclarecerá todas as dúvidas e indicará os serviços disponíveis neste espaço. Se preferir, tem também um vídeo explicativo à sua disposição (disponível em várias línguas) para saber com o que poderá contar antes da aventura pela “show cave”, a exposição principal. Ficará fascinado com as peças interactivas e a informação abundante. Conte com uma hora para conseguir ver o museu de uma ponta à outra. 

Os tempos passados

Ficará com uma ideia precisa sobre a vida no passado mais remoto, através dos quartos decorados com primor arqueológico e os variados detalhes que indicam como era o quotidiano dos seus ocupantes nesses tempos pré-históricos. Um quarto, cozinha e despensa. Uma oficina com ferramentas, e a inultrapassável sujeira entranhada no chão e nas paredes, já que os animais viveriam em casa com as famílias. Encontrará também cartas emolduradas e a história escrita da família que viveu originalmente naquela caverna. Várias anedotas e memórias de tempos felizes compõem estes textos alegadamente verdadeiros, apesar da época difícil de poucos confortos e pobreza.

A caverna dos tempos modernos

Ainda hoje existem centenas de pessoas vivendo à maneira de Fred e Wilma dos Flintstones nesta região das cavernas – apesar de termos de descontar os largos ecrãs de plasma que se substituíram aos porcos e aos currais, e a luxúria que substituiu o duro labor quotidiano. Grande parte deste bairro é ainda considerado como uma área de ciganos, e por isso deve ter atenção à nem sempre tranquila atmosfera que se vive no Mirador, com pessoas a pedirem dinheiro ou a tentarem persuadir turistas a visitar as suas próprias caves.

*Dica de ouro – Recuse com educação qualquer oferta deste género e mantenha-se fiel às visitas guiadas e aos museus oficiais.

As temperaturas estáveis

Já da parte de fora, e ligeiramente cegos pelos raios de sol brancos depois de sairmos das escuras e frescas cavernas, seguimos ao longo daquele quarteirão até um pequeno bar-caverna, para um refresco e uma deliciosa tapa. Apesar de ser Outono e de fazer um calor que não seria próprio da estação, dentro do bar encontra sempre uma temperatura fresca e calmaria. Pensei em como seria agradável ter este bar de portas abertas para nós, aonde quer que estivéssemos, e até de Inverno, já que as temperaturas das cavernas mantêm-se estáveis nos 18 graus centígrados ao longo do ano inteiro.

A baixa da cidade

De regresso, encosta abaixo, na direcção da cidade, encontrará outras paisagens que deve ver antes de partir. 

A parte antiga da cidade é a mais interessante de explorar. Quando à parte nova, deixe-a para mais tarde, para quando quiser petiscar qualquer coisa ou fazer umas compras nocturnas, até porque as lojas só fecham às 21h00. Portanto, e partindo novamente da Catedral, continue o seu passeio de início de tarde à volta de Guadix. Estradas estreitas, ruelas e passeios ancestrais pisados desde o início dos tempos, são algumas das particularidades que encontrará a cada esquina e que convidam ao desbravar da sua curiosidade. Percorra estes caminhos e veja em que mistério desembocam. 

Principais atracções

  • As fortificações de alcáçovas, do século XI – Estão dispersas sobre todo o perímetro da cidade, incluindo a região das cavernas.
  • Iglesia de Santiago – Belíssima e fácil de reconhecer através do seu sino azul e verde.
  • O Museu das Cavernas e da Cerâmica – Para além de uma fantástica visita ao mundo pré-histórico das cavernas habitadas, tem em exposição uma boa colecção de cerâmicas de diferentes períodos históricos.
  • Palácio de Los Marqueses de Villalegre – Arquitectura aristocrática naquilo que ela tem de melhor, incluindo incríveis torres gémeas a fazerem vista.
  • Palácio de Penaflor – Uma casa medieval de Nobres. Possui uma varanda de ângulos pronunciados em madeira, e é exemplar do tipo de arquitectura que se pode encontrar na parte velha da cidade.

Como último conselho: deixe-se perder alegremente. Siga com uma câmara atrás e tenha atenção às preciosidades com que se venha a cruzar, há arquitectura peculiar por todo o lado! Já sabe, se visitar Granada, Guadix é definitivamente um dos destinos a ter em conta. 

Partilhar artigo

Comentários

X
Ganhe um voucher de € 750 como prémio!
Inscreva-se na nossa newsletter e habilite-se a ganhar vales de 750€ nas suas próximas Férias em Espanha. Escolha entre as mais de 7500 propriedades.

 Ganhe um voucher de € 750 como prémio!