Ordenar por: Andaluzia

Os vestidos Flamenco da Feria

Preparações para a Feria: preparar e escolher um vestido Flamenco

Poucas roupas tradicionais são tão facilmente reconhecíveis como o vestido flamenco da Andaluzia. Ele é o verdeiro embaixador da cultura andaluza e tem conquistado admiradores pelo mundo inteiro ao longo dos anos, forjando um lugar de destaque para si, até mesmo se considerarmos o competitivo mundo da moda de alta-costura.

Se está a planear tirar umas férias este Verão na Andaluzia, talvez já saiba que a famosa Feria de Málaga acontece todos os anos em meados de Agosto, e que este festival de rua dura uma semana inteira e é considerado por muitos espanhóis como o maior acontecimento festivo do ano. Se lhe apetecer ir divertir-se pelo centro histórico da cidade ao bom estilo andaluz, continue a ler e descubra tudo o que precisa de saber.

Um pouco de história

O exuberante vestido flamenco, conhecido em Espanha como “traje de Flamenco”, “traje de Sevillana” e “traje de Gypsy”, ou mais raramente por “traje de guitarra”, parece ter sido originário de Sevilha.

A partir da segunda metade do século XIX várias feiras de agricultura tiveram lugar ao redor da cidade de Sevilha, com diversas mulheres de agricultores ciganos a participarem nelas e trajando vestidos feitos à mão a partir de velhos pedaços de roupa velha. Habitualmente adornavam-se estes vestidos com vários folhos de forma a transformar os tecidos pobres em conjuntos mais belos e esteticamente agradáveis. 

Foi durante a exposição Ibero-Americana de Sevilha em 1929 que alguns membros e representantes da alta sociedade decidiram aparecer envergando o Traje de Sevilhana, oferecendo-lhe pela primeira vez o reconhecimento público e oficial.

Desde aquele tempo, a popularidade do vestido começou a espalhar-se além das fronteiras da região, acabando por se tornar num dos elementos verdadeiramente distintivos da cultura andaluza. Ao passo que conseguiu manter as suas características mais reconhecíveis (o corte, as formas, os acessórios), este vestido foi-se afirmando dentro da tradição regional do flamenco e até conseguiu espalhar a sua fama além fronteiras.

Ao longo dos anos, o vestido foi-se deixando influenciar pelos diferentes estilos e particularidades que foram surgindo no mundo da moda, permitindo-se até quebrar a tradição por várias vezes para poder acompanhar as novas tendências a cada ano. É por isso que, desde que a minissaia ganhou popularidade nas sociedades ocidentais em 1960, o tamanho dos vestidos de flamenco também foi reduzindo até chegar ao joelho, e esse é um dos formatos favoritos ainda hoje.

Estilos e acessórios

Hoje em dia é possível escolher entre vários cortes e formatos, mais curtos ou mais compridos, com mangas ou sem, com cores originais ou o tradicional design às pintas – este é o mais antigo e o mais popular. As mulheres também podem optar por vestir um fato de corte masculino (com um casaco curto, calças, cinto e chapéu), o que na verdade é o melhor para usar de quiser andar pela Feria a galope num dos cavalos que circulam pelas ruas.

O vestido flamenco é maioritariamente usado durante as várias festividades andaluzas como as Festas de Málaga e de Sevilha, também nas “Romerias”, ou seja as peregrinações ou celebrações religiosas, ou ainda em ocasiões especiais como em concursos de beleza e concursos de moda – mas não são vestidos que usem no dia-a-dia.

É claro que são também usados nos espectáculos de flamenco, embora as dançarinas costumem usar uma versão adaptada do vestido com uma “bata” que enfatiza os movimentos da “bailaora” (bailarina).

Apesar de a popularidade dos vestidos de flamenco terem impulsionado a industria da manufactura, um substância número de clientes ainda prefere fazer os seus vestidos à mão. Leva cerca de 3 a 4 dias para fazer um vestido à mão, e feito pelo próprio pode ficar muito mais barato. O preço de um vestido novo pode variado imenso. Pode ir dos 100€ aos 1000€, dependendo do material, da forma e da qualidade. Os preços podem até ultrapassar os 1000€ para vestidos de grande qualidade estilística.

Além dos custos do vestido, há acessórios necessários que também têm de ser comprados, nomeadamente: o “mantón de manila”(um xaile de franjas que adquiriu o seu nome do Porto de Manila. Ele é feito de cetim ou seda e bordado com flores e pássaros), a peineta (uma complexa ornamentação que se usa no cabelo, com motivos clássicos), sapatos (sempre de salto alto), brincos (o estilo redondo é o mais popular), pregadeiras, braceletes e colares.

É possível alugar um vestido flamenco, mas também há um mercado em crescimento de roupa em segunda mão onde os pode encontrar. Se quiser participar na Feria ao estilo tradicional da Andaluzia irá encontrar bastas opções para todas as bolsas na lojas especializadas da Feria.

Agradecemos especialmente aos estilistas da Feria Viva La Feria e a Rosapeula (Málaga, Espanha), pela sua colaboração neste artigo. 

Partilhar artigo

Comentários

X
Ganhe um voucher de € 750 como prémio!
Inscreva-se na nossa newsletter e habilite-se a ganhar 750€ para usar nas suas próximas Férias em Espanha.


I have read and accept the privacy policy
 Ganhe um voucher de € 750 como prémio! 
Ferias-Espanha.pt usa cookies. Consulte a nossa Política de Privacidade